Cartão de crédito deve ser utilizado de forma consciente

Caso seja utilizado de forma equilibrada, o cartão de crédito pode se tornar um aliado em relação a finanças de uma família, ao invés de um grande vilão, relata Antonio De Julio, especialista em desenvolvimento financeiro e pessoal do Moneyfit



O uso do cheque especial pelos brasileiros vem caindo nos últimos anos. Segundo dados do banco central do Banco Central (dados divulgados no final de junho/2010), mostram que o uso do cheque especial atualmente é fonte de 34% dos empréstimos realizados pelas famílias e há dez anos, eram de 60%. Mas, segundo Antonio De Julio, especialista em desenvolvimento financeiro e pessoal do Moneyfit, a preferência pelo uso do cartão de crédito, que tem o maior juros entre as operações bancárias, pode se tornar um problema grave, caso sua utilização seja feita de forma exagerada.





A cada dia que passa, o brasileiro está usando mais o cartão de crédito para comprar bens duráveis, assim como alimentos também. Esse comportamento acontece porque muitas lojas estão oferecendo cartões com a própria marca e parcelamentos exclusivos, relata Antonio De Julio. Ele ainda destaca que essa facilidade de pagamento inicialmente pode parecer muita boa, mas depois de duas ou três compras parceladas, as pessoas já estarão pagando o equivalente ao que gastavam antes em uma compra sem parcelamento, explica.



Caso o pagamento total da fatura seja feito, não haverá problemas, mas em caso negativo, o uso do cartão de credito pode “afundar” as finanças de uma família. “Isso acontece porque os juros dos cartões de crédito de um mês o equivalente a um ano de rendimento na renda fixa", explica. No caso de uma família que optar por não pagar o valor total de uma fatura, o mais indicado é fazer grandes esforços para não pagar o valor mínimo e sair dessa situação o mais rápido possível, pois quanto mais tempo pagando parcelas, mais juros serão cobrados.


Segundo o especialista, o cartão de crédito, caso seja utilizado com um certo limite, pode se tornar um grande aliado dos brasileiros. “É uma forma que cada um pode centralizar todas as compras, desde o pão na padaria até contas mais altas no cartão, desde que não tenha que pagar nenhuma taxa a mais por isso. Além de acumular bônus para resgate em prêmios (isto é, gastar APENAS o necessário, não gastar para ampliar esse benefício), o cartão tem uma coisa interessante que é o EXTRATO. Ele explica que dificilmente fazemos um controle do destino do dinheiro que sacamos do caixa eletrônico, e esse dinheiro faz uma grande diferença no orçamento no final do mês. “Com o cartão, qualquer gasto efetuado vai para o extrato. Se fizermos um controle semanal, ou até mesmo duas vezes por semana desse extrato, o que é rápido, tranquilo e cômodo com o Internet Banking. Isso nos dá um controle financeiro prontinho, sem ter que anotar nada (alguns bancos permitem que seja exportado direto para uma planilha eletrônica) em nossas mãos”, explica Antonio De Julio.

Além do uso consciente do cartão, segundo Antonio De Julio, é preciso que cada brasileiro crie e mantenha novos comportamentos em relação ao uso consciente do dinheiro, pois, hoje, infelizmente, ainda é possível encontrar muitas pessoas que acham "chato" lidar com o dinheiro e preferem deixar tudo nas mãos de terceiros. “É preciso que cada um de nós busque informação em relação às taxa de juros de um determinado empréstimo ou de um cartão de crédito e escolher a opção mais viável economicamente, comportamento que atualmente não vemos.

Devemos aprender a "gostar" de dinheiro assim como gostamos de falar de cinema, música e futebol, por exemplo. Todo mundo só fala de dinheiro quando está devendo, poucos falam de guardar, montar uma reserva de emergência quando estão com as contas positivas. E para isso ,o método de desenvolvimento financeiro e pessoal, MoneyFit foi criado. Enfim, para que as pessoas "façam as pazes com seu dinheiro", e mais que isso, como ele pode fazer para que elas evoluam e consigam a tão sonhada riqueza.


Para ajudar no dia a dia sobre o uso consciente do cartão de crédito, abaixo seguem algumas dicas:


1) Procure ter um único cartão de crédito na famlía. Além do controle dos gastos ficar mais fácil, mais bônus de recompensas como milhas ou troca por produtos serão acumulados usando-se um único cartão.


2) Antes de escolher o seu cartão, conheça as vantagens que ele pode oferecer como descontos em cinemas, eventos esportivos ou os programas de acúmulo de pontos. É uma forma de usá-lo para economizar.


3) O cartão de crédito tem uma coisa interessante que se chama EXTRATO. Dificilmente fazemos um controle do destino do dinheiro que sacamos do caixa eletrônico, e esse dinheiro faz uma grande diferença no orçamento no final do mês. Com o cartão, qualquer gasto efetuado vai para o extrato. Se fizermos um controle semanal, ou até mesmo 2 vezes por semana desse extrato, o que é rápido, tranquilo e cômodo com o Internet Banking, temos um controle financeiro prontinho, sem ter que anotar nada em nossas mãos. Muitas pessoas pagam atá o pão na padaria com cartão de crédito. Sabendo usar e controlar, não tem problema algum.


4) Tenha um limite do cartão compatível com sua renda. Um cartão com um limite alto é como dar uma Ferrari a um aluno que acabou de sair da auto-escola. A probabilidade de acidente é muito alta.


5) Ao usar o cartão, lembre-se: "um dia a conta chega", principalmente quando compramos próximo ao vencimento e o gasto vai para o mês seguinte.


6) Procure não fazer parcelamentos maiores que 10 meses. Parcelas longas dão a sensação de "preços curtos", o que não é verdade. Comerciantes usam e abusam dessa técnica para aumentar o preço de seus produtos. (Texto desenvolvido por Anna Karina Spedanieri, jornalista e assessora de imprensa - 06/09 Às 23 horas)

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?