Saiba como administrar o dinheiro e identificar os melhores momentos para presentear uma criança

O Dia das Crianças já está bem próximo e o mercado disponibiliza diversas opções de brinquedos. Além disso, e com certa freqüência, cada criança deseja ter um novo brinquedo, que inclusive o seu coleguinha de escola já tem. Em relação aos pais, a “missão” é equilibrar os gastos, identificar quais são os brinquedos e os momentos mais adequados para presentear seus filhos de forma equilibrada, além das datas comemorativas.

Sobre o tema, Silvia Alambert, educadora financeira e detentora da metodologia The MoneyCamp voltada para jovens e crianças, explica que o planejamento financeiro deve ser feito já no início do ano com previsão de datas e os seus respectivos gastos. “Assim, as compras de presentes para datas comemorativas, entre aniversário, Páscoa, Dia das Crianças e Natal já estarão programadas dentro do orçamento familiar”, explica Silvia.

Silvia destaca que presentear uma criança em datas especiais também significa “trabalhar” os aspectos da educação financeira, assim como planejamento e objetivos de curto, médio e longo prazo. “ Isso identifica o que é importante ou não na vida de nossos filhos e o valor real daquele presente. Saber esperar para receber algo que as crianças consideram muito especial para elas, com certeza agrega um valor sentimental muito maior do que o valor financeiro do presente”, enfatiza Silvia.

Já o excesso de presentes pode prejudicar uma criança e consequetemente levá-la ao consumismo exagerado que pode passar de geração para geração. Silvia destaca que presentes só são considerados presentes se tiverem algum significado. “Dar presentes sem um motivo especial para nossas crianças faz com que elas entendam que podem ter o que quiserem sempre e a qualquer momento. “Não existe data certa para presentear, mas sem um certo limite, faz com que as crianças cresçam desconhecendo a noção de planejamento para a conquista de sonhos na vida. Além do mais, a euforia de receber um presente nas datas consideradas realmente especiais perde o encanto, já que será somente mais uma “ coisa” que receberam”, explica Silvia Alambert.

Silvia Alambert complementa e reforça que o presente, preferencialmente deve estar alinhado a conhecimento. Jogos e livros educativos que incentivam a criatividade, o cooperativismo, que desenvolvam e estimulem a racionalidade e a competitividade de acordo com a faixa etária são ótimos exemplos. Alguns exemplos: quebra cabeças, jogos de tabuleiro como dama, xadrez, jogo da memória, para os maiores, Monopólio Junior, Banco Imobiliário e detetive, excelentes jogos para serem compartilhados entre os integrantes da família.

Ela conclui e deixa uma mensagem: mais do que dar presentes, é importante ser e estar presente na vida dos filhos. Certamente esse será o maior presente que eles receberão e que lembrarão pelo resto da vida. Aos pais, indico um presente de Betsy Taylor: o livro “ O que os Filhos realmente querem que o dinheiro não compra”, da Editora Sextante.

Perfil - Silvia Alambert - Silvia Alambert, é educadora financeira e fundadora da The Money Camp™ Brasil, metodologia de educação financeira para crianças, jovens e adultos, professora de inglês certificada pela Cambridge University, Londres, membro da Associação Internacional para a Cidadania e Educação Econômica e Social (IACSEE), única educadora financeira licenciada no Brasil pela Creative Wealth™ International para transmitir os conceitos e metodologia do programa The Money Camp™ e certificar multiplicadores no país.

Perfil - The Money Camp™ – The Money Camp™ é um programa de educação financeira americana e que foi fundado por Elisabeth Donati no ano de 2000. No Brasil, foi lançado oficialmente no dia 20 de dezembro de 2006 em um evento promovido para profissionais da área de educação.

A metodologia utilizada no programa The Money Camp™ está alinhada com as modernas descobertas no campo cognitivo (Ensino para a Compreensão, Teoria das Múltiplas Inteligências) com as diretrizes da UNESCO em seus quatro pilares da educação para o século XXI: Aprender a SER, Aprender a APRENDER, Aprender a FAZER e Aprender a CONVIVER. A transmissão de todo o conteúdo financeiro é realizada de forma simples e divertida, tornando o curso envolvente e dinâmico, a fim de tornar a linguagem densa do mundo financeiro em um processo natural de aprendizagem. Cada aluno participante do curso passa a ter um novo olhar com relação ao seu planejamento de vida futuro e recebe conhecimentos necessários para que passe a realizar escolhas financeiras de forma inteligente e saudável. Os cinco pilares da administração do dinheiro – fazer dinheiro, poupar, investir com sabedoria, gastar com inteligência e compartilhar - são tratados dentro do universo dos alunos que aprendem, entre outras coisas, a administrar seus recursos para viverem um futuro de forma planejada e tranquila. 'A educação financeira deve servir como ferramenta para a formação consciente do cidadão com relação à linguagem do dinheiro e tipos e formas de investimento', ressalta Silvia.

É importante ressaltar que o programa The Money Camp foi adaptado à realidade brasileira e dispõe de profissionais altamente qualificados nas áreas de economia, psicopedagogia e matemática. O programa único em educação financeira para crianças e jovens da Money Camp vem se expandindo pelo território brasileiro e, em breve, crianças e jovens de importantes centros urbanos terão a oportunidade de receber os conhecimentos do programa de educação financeira The Money Camp™. www.themoneycamp.com.br

Departamento de Comunicação – The Money Camp
Contato: Anna Karina Spedanieri – Assessora de Imprensa
Fone: (11) 9722-6600
E-mail:comunicacao@themoneycamp.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?