Fundação Vanzolini concede certificação AQUA ao Edifício Habitacional da Sukyo Mahikari do Brasil

MAIO/2011 – A Fundação Vanzolini, entidade certificadora da construção civil, acaba de conceder ao edifício do KUNRENSHO (Centro de Treinamento e de alojamentos) da Sukyo Mahikari do Brasil, entidade religiosa de origem japonesa situada na capital Paulista, o certificado AQUA referente às fases Programa e Concepção (projeto). O empreendimento que está sendo executado pela Construtora Hoss, com 3 pavimentos e área total construída de 2.300 m2, após estas duas fases, já assegura que o espaço está sendo projetado buscando a Alta Qualidade Ambiental e priorizando também o conforto e saúde para os seus usuários. Já o certificado AQUA referente à fase Realização do empreendimento deve ser concedido até o final do ano, após o processo de auditorias presenciais realizado por um profissional da Fundação Vanzolini.

Para atender os critérios de desempenho desta certificação, a Sukyo Mahikari do Brasil contou com a Inovatech Engenharia, consultoria líder em projetos AQUA no País. Segundo Eduardo Tadashi Kuguimiya, supervisor de Engenharia da Sukyo Mahikari do Brasil, os princípios da sustentabilidade fazem parte dos ensinamentos da entidade. A adoção de soluções da construção sustentável foi uma premissa estabelecida pela direção da entidade e a escolha da certificação AQUA deveu-se à Fundação Vanzolini ser uma instituição independente formada por professores da Engenharia de Produção da Poli-USP. “Outros fatores importantes que nos levou a escolher a certificação AQUA é a sua metodologia totalmente adaptada à realidade brasileira. Conseguimos atender todos os critérios nestas duas primeiras fases, que foram comprovados durante as auditorias presenciais executadas pelos profissionais da Fundação Vanzolini”, destacou Kuguimiya.
Todas as exigências foram incluídas e atendidas sem modificar o projeto inicial do empreendimento, destaca Yoshihiro Chida, arquiteto responsável pelo projeto. "As diretrizes da Certificação AQUA foram essenciais para garantir a total aplicação de conceitos que garantam o conforto acústico e térmico, saúde e ambiental no projeto, além da destinação correta dos resíduos gerados no local", concluiu.

Itens sustentáveis

O projeto priorizou a iluminação natural e a utilização de brises reguláveis que reduzem a carga térmica proveniente da incidência da radiação solar. Nas áreas comuns foram instaladas lâmpadas de LED que consomem menos energia e a água quente do chuveiro é aquecida com a energia solar.

Para reduzir os custos de manutenção foram adotados materiais e mecanismos especiais como os vidros laminados auto-limpantes, forros removíveis, revestimento em laminado melamínico, entre outros. O sistema construtivo, composto por estrutura em concreto armado aparente (anti abalo sísmico), painéis de fechamento externo em concreto pré-moldado e paredes internas em Drywall, foi escolhido visando garantir a durabilidade do prédio, aumentar a flexibilidade do uso e reduzir a geração de resíduos durante a construção.

Para a preservação dos recursos hídricos foi projetado o sistema de reuso da água de chuva e da água servida da lavagem de roupas, dos banhos e dos lavatórios. Esta água, denominada de água cinza, passará por um tratamento físico-químico e será destinada à lavagem de calçadas, rega de plantas e descargas dos vasos sanitários.
O canteiro de obras foi planejado visando atender às diretrizes da gestão dos resíduos (para serem reutilizados ou reciclados), e às exigências da segurança e medicina do trabalho e reduzir impactos na vizinhança.

Sobre o Processo AQUA – O Processo AQUA (Alta Qualidade Ambiental), desenvolvido e adaptado à realidade brasileira pela Fundação Vanzolini, maior certificadora da construção civil do Brasil, é formado por 14 critérios de desempenho sustentável divididos em quatro grupos: eco-construção, eco-gestão, conforto e saúde, que auxiliam empreendedores da construção civil na redução do impacto ambiental de suas obras, sejam elas residenciais, comerciais, complexos esportivos e arenas, ou destinados à habitação popular. Com isso, geram baixo impacto no meio ambiente ao longo de toda a sua vida útil, incluindo a fase de construção e a fase de operação e uso, consomem menos recursos naturais e geram menos resíduos, além de proporcionar melhores condições de conforto e saúde aos seus usuários. Isso abrange as fases de programa, concepção (projeto), realização (construção) e operação e uso dos empreendimentos. Acesse www.processoaqua.com.br. (Texto desenvolvido pela jornalista Anna KArina Spedanieri email: annakarina21@hotmail.com).

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?