Queda de cabelos, alimentação saudável e nutricosméticos


Para controlar a queda dos fios, Dra. Leila Bloch informa que alimentação saudável e exercícios físicos são fundamentais também para a saúde capilar

Com o objetivo de combater a queda de cabelos, muitas mulheres recorrem aos produtos que prometem dar força e vida aos fios e esquecem dos cuidados com a alimentação, indispensável para a saúde capilar. A adoção de dietas restritivas para emagrecer podem levar a falta de nutrientes no organismo, ocasionando a queda dos fios. Para amenizar a consequência, muitas pessoas recorrem aos nutricosméticos, conhecidos como doses de vitaminas e minerais, que visam repor deficiências nutricionais que podem levar à queda de cabelo.

A médica dermatologista e cirurgiã capilar Dra. Leila Bloch (CRM-SP 108.287), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e do ISHRS - International Society of Hair Restoration Surgery, ressalta que o mais importante é ter uma alimentação saudável e balanceada. “Uma dieta equilibrada pode atenuar a queda capilar, mas não o afinamento dos fios, uma vez que a causa para o afinamento é predominantemente genética. Os cabelos podem cair com velocidade acelerada por uma fase mais intensa de expressão da própria calvície, mas em geral caem mais rapidamente por outras causas, como deficiência de vitaminas, de ferro e proteínas, oleosidade excessiva, problemas de tireóide ou outras causas menos frequentes”, relata a especialista.

A dermatologista ressalta ainda que frituras, alimentos ricos em gorduras, como doces, podem levar a aumento de dermatite seborréica, o que indiretamente auxilia na inflamação do bulbo e faz com que os cabelos tenham um ciclo mais curto, ou seja, eles demoram menos para cair. “O encurtamento do ciclo pode-se ocasionar a diminuição de volume dos fios, principalmente em pessoas já com tendência genética a desenvolver Alopécia Androgenética (calvície)”.

Dra. Leila explica também que indivíduos com intolerância à lactose não apresentará problemas capilares em função do quadro, desde que faça reposição de proteínas por meio de leite de soja, por exemplo, e que consiga prover a carga proteica nutricional necessária ao organismo.

Sobre o uso de nutricosméticos, a dermatologista entende que eles são uteis, mas que as pessoas que escolhem consumi-los não devem deixar de lado uma alimentação saudável, rica em nutrientes e os exercícios físicos. “Os resultados são reforçados a partir da combinação de todos os elementos”, destaca ela.

Para a ingestão de nutricosméticos com o objetivo de diminuir a queda dos fios, Dra. Leila afirma que é indispensável a consulta médica com um dermatologista para avaliação e orientação sobre consumo, dosagem e tempo de uso, pois a hiperdosagem pode levar ao surgimento de alergias. “ Além disso, alguns tipos de nutricosméticos não devem ser ingeridos por crianças, gestantes, lactantes e pacientes com problemas no funcionamento do fígado ou dos rins ”, alerta.

O uso dos nutricosméticos deve ser associado ao de produtos de uso tópico no couro cabeludo ou via oral, devendo ser coadjuvantes de um tratamento, e não substitutos. “Em geral, para que sejam notados resultados, o tempo médio de uso é de 3 meses”.

Para quem deseja fortalecer os fios, abaixo seguem algumas indicações de alimentos saudáveis listados pela Dra. Leila Bloch:

•Frutas secas, como nozes, amêndoas ou castanha do Pará são importantes oligoelementos para a constituição do fio;

•Alimentos integrais, que são ricos em complexo B, ferro, magnésio e zinco, assim como o grão de bico, são fontes proteicas e ricas em ferro;

•Alimentos ricos em vitamina E, por sua ação antioxidante, como o gérmen de trigo, óleo de semente de girassol, por exemplo, ajudam a combater a quantidade de radicais livres gerados no dia a dia pelo estresse, poluição, entre outros fatores. A sardinha, rica em Omega 3, também é importante pela ação antioxidante;

•Os alimentos ricos em vitamina B, zinco,cobre, selênio, proteínas, ferro, vitamina A, auxiliam no fortalecimento da imunidade, fazendo com que a absorção dos outros nutrientes seja facilitada;

•Para a absorção dos nutrientes beba bastante água.

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?