JAPÃO BUSCA PARCEIROS NO VAREJO BRASILEIRO



Abril de 2017 – Apesar do cenário econômico instável, o setor supermercadista brasileiro registrou faturamento de R$ 338,7 bilhões em 2016, um crescimento de 7,1% na comparação com 2015, de acordo a 40ª Pesquisa Ranking ABRAS, elaborada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados em parceria com a Nielsen. O resultado registrado em 2016 pelo setor representa 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB). Com o objetivo de firmar negócios com supermercadistas brasileiros, seis companhias japonesas participam sob a coordenação da Japan External Trade Organization (JETRO), organização de fomento do comércio exterior do Japão, da APAS Show 2017, maior feira de negócios do setor supermercadista do mundo, entre os dias 2 e 5 de maio. Na bagagem elas trazem produtos genuinamente nipônicos, desenvolvidos com dedicação, tecnologia e inovação para oferecer qualidade e segurança à mesa dos brasileiros. Para Atsushi Okubo, diretor-presidente da JETRO no Brasil, o mercado brasileiro é um oásis de oportunidades para os japoneses, sobretudo pelo longo histórico da imigração nipônica, que proporcionou ter contato com a cultura e a culinária daquele país, e consequentemente, grande abertura a novos produtos, sabores e ingredientes.

Um dos grandes destaques deste ano é a carne wagyu de Kagoshima (a maior região produtora de carne de wagyu no Japão) da empresa Sankyo Meat. A wagyu é uma raça de gado japonesa e a comercialização da carne trazida pela Sankyo só foi possível em razão de um acordo entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil e o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão e o Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca daquele país também. A Sankyo, tradicional exportadora, tem grande expectativa de realizar sua primeira venda para o Brasil a partir da feira. Serão apresentados também, produtos inéditos como o lámen kitakata da Igarashi Seimen e os molhos diversos para marinar carnes e frutos do mar, além do shoyu (molho de soja) produzido por meio de fermentação natural da Morita, empresa com mais de 350 anos de tradição, que será representada pela Arcane Limited, cujo objetivo é encontrar um parceiro para terceirizar sua produção no país. (Nota desenvolvida por Anna Karina Spedanieri).

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?