Coronavírus: como as decisões dos governos afetam nosso bolso?


MARÇO 2020 – Além da preocupação com a saúde da população mundial, existem vários impactos financeiros quando ocorre uma pandemia, assim como ocorre com o Coronavirus (COVID-19). Na opinião da educadora financeira, Carol Stange, há vários possíveis impactos financeiros que a pandemia pode gerar na nossa vida nos próximos meses. “As decisões tomadas pelos governantes do mundo todo podem afetar o seu e o meu bolso, por isso, quero deixar algumas sugestões de como passar por essa crise da melhor forma possível”.


MERCADO FINANCEIRO
O mercado financeiro é "ansioso" e as decisões tomadas sempre são baseadas em expectativas antecipadas sobre o futuro. Se as expectativas mudam, independentemente dos motivos, há alterações na demanda e oferta de ativos na bolsa, no faturamento e lucro das empresas do ramo da indústria, Varejo e serviços. E no final de toda a cadeia, estamos nós, consumidores finais que sentimos nossos investimentos oscilando, os produtos encarecendo e nossa renda, perdendo a força.

O Coronavírus interfere justamente no ir e vir das pessoas, o que impacta direta e indiretamente diversos setores da economia, e os compromissos financeiros das empresas e das pessoas físicas continuarão no seu ritmo natural. As empresas continuarão tendo que pagar salários e encargos mesmo que não produzam ou vendam. Os seus e os meus boletos continuarão chegando no final do mês. Segundo ela, é preciso refletir sobre como as próximas semanas ou meses impactarão nas suas finanças, mesmo que você seja um funcionário contratado no regime CLT. Algumas perguntas precisam ser respondidas, como:

• Minha renda mensal será impactada? Em quanto? (Aqui, atenção extra aos comissionados e autônomos).
• Corro o risco de perder meu emprego ou renda?
• Posso fazer algo para manter o meu volume de negócios ou aumentar minha receita?
• Há possiblidade de negociar algumas despesas fixas para os próximos meses?
• Há Reserva de Emergência? Por quanto tempo ela suporta meu estilo de vida sem que haja mudanças no consumo?
• Caso negativo, precisarei resgatar algum investimento de longo prazo?


NOVAS OPORTUNIDADES

Respondidas essas questões, talvez as limitações que estamos sofrendo na nossa rotina diária possam ser encaradas como um grande incentivo ao empreendedorismo. Grandes ideias e oportunidades surgem quando somos retirados da nossa zona de conforto. Se você pensa em elaborar um negócio próprio, algumas perguntas devem ser consideradas ao elaborar o seu projeto:
• O que quero fazer?
• Como vou fazer?
• Preciso de capital inicial? Quanto?
• Para quem quero vender?
• Por quanto quero vender?
• Como vou receber?
• Com quem quero empreender?
• Estou disposto a estudar e abdicar do meu tempo livre para esse projeto? Quanto tempo por semana?
• Qual meu objetivo tangível?
• Qual meu objetivo intangível?

Postagens mais visitadas deste blog

FINANÇAS PESSOAIS: CINCO SINAIS QUE VOCÊ DEVE EVITAR EM 2020

DEMANDA POR SMARTLOCKERS CRESCE 30% NA LOGÍSTICA DO E-COMMERCE

Estacionamentos e shoppings ociosos podem ser aliados da logistica?